Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PERDER BEM por Filipe Nunes Vicente

12.07.22

Nestes tempos de igualdade a confusão instalou-se. Festival de cinema da Figueira da Foz, 1979 por aí.  Um jovem do Expresso, Miguel Esteves Cardoso, bebâdo à porta do Caçarola 2 ( mesmo em frente ao Casino) crismava Eduardo Prado Coelho de croquete literário. Assisti eu. EPC usava  a expressão confundir o género humano com o Manuel Germano. É uma boa entrada.

A igualdade, e bem, aplica-se aos direitos. As mulheres ( nem todas, eu sei) não são iguais aos homens. Não falemos de coisas evidentes. Falemos de uma qualidade que ao fim de trinta anos continua  a espantar-me no gabinete. É difícil de traduzir, por isso serei breve. Quando a coisa aperta - divórcios, crises familiares, mortes, o quotidiano carunchoso - elas exibem uma preocupação. O que me vem sempre à cabeça é o Falcão no Mundial de Espanha 82. Os ingleses têm aquela definição de corte: grace under pressure.

Do que falo? De uma alienígena capacidade de  nos momentos de grande aperto manter a unidade do regimento, dos animais, das flores, das crianças, dos velhos. Não é generosidade feminina, essa sim uma classificação machista, é outra coisa: uma superior inteligência de distinguir o essencial. O género humano do Manuel Germano.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub