Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PERDER BEM por Filipe Nunes Vicente

13.04.22

Benjamin (Infância Berlinense) e  o telefone:  poucos conhecem a devastação que o seu aparecimento causou no seio das famílias. Conta  como o pai se entregava à manivela até se esquecer da vida dominado pelo transe. Benjamin era mais prático: rendia-me  à primeira proposta que me chegava através do telefone.

Não gosto do telefone e do seu neto, o telemóvel. Por razões tristes e antigas, mas também por uma outra bem prática: não existe contacto visual. Preciso dele para tudo. Sim, há as videochamadas mas tenho sempre a sensação de estar a falar no vídeo-porteiro. Tanto vídeo, tantas palavras desconchavadas.

No outro dia  uma rapariga estava a contar-me  como tinha acabado a relação amorosa. Era uma primeira entrevista apenas destinada  a fazer  a história clínica. Loura plastificada, lânguida, deprimida, responsabilizando todos por tudo. A  coitada da caneta já escrevia sozinha.  Até que  ela me conta as palavras  finais da ruptura de uma  forma que me acordou: ela estava numa cidade, ele noutra. Por telefone? Acabaram por telefone? Responde ela: Sim, por sms.

É fantástico como a  tecnologia facilita  a vida até  a dos  que não a vivem.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub