Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PERDER BEM por Filipe Nunes Vicente

17.02.22

A expressão a minha vida seria divertida se fosse verdadeira. Não é.

É notável como uma coisa tão frágil e maravilhosa pode ser desprezada. Acorda-se vivo, os os nossos estão bem,   o café está feito: se digo isto na clínica  olham-me com um sorriso de compreensão pelo tolinho que os devia estar a tratar e afinal não acende as luzes nos andares todos.

Do optimismo não sei nada salvo antes de cada jogo do Glorioso, mas do desperdício, ao fim destes anos todos, sei alguma coisa. As pessoas  acham vulgares tantas coisas boas que não lhes passa pela cabeça que possam ser traídas na próxima esquina. O contra-argumento conheço-o de gingeira: então devíamos andar tolinhos de  contentes porque os miúdos estão bem, o carro não foi parar debaixo de um camião,  o ordenado foi depositado etc?

Não se trata de andar contente ou triste. Ele há malta que anda contente em jornadas vingativas e outra que anda triste porque  que pesa  cem gramas a mais. Trata-se de compreender que o que temos de bom  em cada instante é um prazer fragilíssimo. Sobretudo aceitar que nada nos pertence:  o aluguer é renovado todo os  dias.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub